Pan meu querido Pan: Chico e Péricles relembro conquista inédita em Guadalajara

Os dois atletas do Pinheiros estiveram entre os representantes do Brasil que protagonizaram o primeiro ouro pan-americano por equipe

Os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, em 2011, foram bem produtivos para o Brasil de forma geral, marcando uma de suas melhores campanhas. E no caso da modalidade da ginástica artística, teve um gostinho ainda mais especial. Dois dos atuais representantes da ginastica do Pinheiros, estiveram entre os representantes da equipe brasileira desta edição de Pan e ao lado de: Diego Hypolito, Petix Barbosa, Athur Zanetti e Sergio Sasaki, fizeram história conquistando pela primeira vez um ouro por equipe no masculino.

Francisco e Péricles são atualmente dois dos mais experientes atletas que compões o time do Pinheiros, ambos também com cerca de 10 anos marcando presença na seleção brasileira de ginástica artística. Em Guadalajara, apenas Péricles fazia parte do Clube, Chico só veio a integrar o grupo, alguns anos depois, em 2014.

A seleção brasileira de ginástica artística feminina, após passar pelos seis aparelhos nos Jogos Pan-Americanos de 2011, somou 346.100 pontos, ficando com o tão sonhado ouro. Porto Rico, que havia terminado em primeiro no Rio 2007, ficou com a prata, com 343.950 e os Estados Unidos garantiram o bronze, com 342.000 pontos.

Foi um dos momentos mais marcantes da minha carreira. Nós vibramos sem fim, comemoramos demais. Foi uma viagem difícil, porque vínhamos de um pré-olímpico no Japão, que também foi bem puxado, pois o Brasil sempre ficava na 18ª ou 19ª posição e pela primeira vez conseguimos o 13º lugar. Também foi bem importante e melhor resultado da história nesta competição e de lá viajamos direto para o Pan”, relembra o ginasta Francisco Barreto Jr.

Já vestindo a camisa pinheirense, Francisco Barreto Jr. disputou também o Pan de Toronto em 2015, desta vez acompanhado por outro companheiro de Clube, Arthur Nory. Eles voltaram a subir novamente no pódio Pan-Americano, mas desta vez o Brasil foi prata por equipe masculina. A dupla Chico e Nory, inclusive teve um ótimo último ciclo olímpico, pois além do Pan de Toronto, no ano seguinte foram para a Olímpiada do Rio de Janeiro, onde Nory conquistou um bronze no solo e Chico ficou com um quinto lugar nas paralelas.