Assim como o Brasil, Pinheiros faz história em Lima tendo sua melhor campanha em Jogos Pan-Americanos

Nos últimos dias de competições, os pinheirenses ainda estavam lutando, correndo e com sede de medalhas, tendo mais 9 resultados chegando a 45 pódios

 

Créditos: Alexandre Loureira / COB

No último final de semana dos Jogos Pan Americanos, (10 e 11 de agosto), os pinheirenses que já contavam com 38 medalhas, ainda somaram mais nove resultados, chegando a 45 e encerram sua participação em Lima tendo feito sua melhor campanha na história da competição, sendo que o Clube participou de todas as edições desde 1951, em Buenos Aires. O Pinheiros refletiu o desempenho do Brasil, que também teve sua melhor campanha após 56 anos, batendo recorde de medalhas e fechando o Pan com 55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes, um total de 171 medalhas.

O Pinheiros que tem tradição em grandes eventos esportivos e que costuma contribuir sempre com números expressivos nas delegações de atletas que representam o país em várias modalidades, já havia superado seus números em relação à quantidade de atletas pinheirenses convocados para o Pan, atingiu também suas expectativas em relação aos resultados. Na edição passada, que aconteceu em Toronto, foram 30 medalhas conquistadas e para este ciclo a expectativa era aumentar este número para 40, mas a campanha foi ainda melhor, chegando a 45 medalhas (17 ouros, 15 pratas e 13 bronzes).

Se for levado em consideração os números que o Brasil atingiu, o Pinheiros contribuiu com cerca de 27% das conquistas. E se o Pinheiros fosse um país, teria ficado com a oitava posição no quadro geral de medalhas, estando à frente de países como Chile e os próprios anfitriões, o Peru. Nenhum outro Clube Brasileiro tem a mesma expressividade que o Pinheiros, que em setembro completa 120 anos de existência e que ao longo de sua trajetória desenvolve um trabalho focado, pensando na formação de atletas ciclo a ciclo e que se reflete em resultados. Sendo um dos grandes entusiastas do desenvolvimento do esporte nacional, o Clube busca sempre trabalhar em parceria com órgão do governo e se valendo de ferramentas como a Lei de Incentivo, para dar continuidade aos trabalhos com os atletas.

Tendo boa parte dos seus representantes distribuídos entre as modalidades de atletismo e natação, o Pinheiros ainda conseguiu bons resultados nestes últimos dois dias. O judô foi outro a contribuir com as conquistas, depois do ouro com a Larissa Pimenta, o Clube ainda conseguiu mais dois resultados ente os três que era possível. Entre as seleções de polo aquático, masculina e feminina, da qual a base era composta por pinheirenses, mais dois bronzes foram garantidos. E a natação que já vinha fazendo uma ótima campanha ainda teve o seu último dia com mais dois resultados em provas individuais e outros dois em revezamentos.

 

Confira os últimos resultados

 

Judô:

Crédito: Wander Roberto/COB

O pinheirense, Eduardo Yudy, conquistou a medalha de ouro no judô dos Jogos Pan Americanos, no último sábado (10). Em sua estreia nos Jogos Pan-Americanos, Yudy precisou de apenas 18 segundos de combate para aplicar um ippon e derrotar o atleta dominicano, assim, conquistando a medalha de ouro no peso-meio-médio (81kg).

Mas para chegar à final, primeiro venceu o argentino Luis Vega por waza-ari, no golden score. A seguir, na semifinal, o americano levou um shido. Com 59 segundos para o fim, depois de uma queda, Hatton se levantou mancando mas seguiu na luta. No golden score, o americano levou nova punição. Pouco depois, Yudy conseguiu o ippon, indo para a final contra o dominicano Medickson Del Orbe. Já na decisão, o brasileiro não deu a menor chance para o dominicano.

“Eu pensei que ia ser uma luta dura, mas eu já estava bem focado no que ia fazer e deu certo logo no começo. Queria muito essa vitória” disse o campeão pan-americano.

No último dia dos Jogos (11), a pinheirense, Beatriz Souza conquistou a medalha de bronze na categoria +78kg. A atleta dominou a luta e não viu dificuldades, acabou aplicando o ippon quando faltavam 2min05s para o final do combate.

“É um alívio. Muito bom sair daqui com uma medalha. Estou muito feliz. Precisava sair com um ippon como esse, precisava lutar bem. A medalha tem gosto de ouro. Estamos perto do Campeonato Mundial e precisava muito desta conquista” – comemorou Beatriz.

 

Atletismo:

Crédito: Wander Roberto/COB

Altobeli da Silva, quatro dias após conquistar medalha de prata nos 5.000 metros, conquistou o ouro nos 3.000 metros com obstáculos, conseguindo o tempo de 8:30.73, sua melhor marca na temporada.  O atleta assumiu a ponta da prova logo depois da terceira volta e foi ditando o ritmo. E esbanjando vigor físico, apertou ainda mais os passos, abrindo vantagem na reta final, com o segundo colocado ficando com o tempo de 8:32.24.

“O ouro é melhor. É um sabor diferente. É uma emoção diferente, contagiante. A galera gritando, parecia que eu era peruano. Puxei a prova praticamente 90% do tempo, estava confiante, estava engasgado depois da prata nos 5.000m. Estava faltando esse ouro” destacou.

No salto com vara, Augusto Dutra ficou com a medalha de prata, com 5,71m de marca. Dutra disputou o ouro até o final contra o norte-americano, que bateu a marca de 5.76m. Já Thiago Braz atual campeão olímpico, terminou no 4º lugar, com a marca de 5.51m.

 

Natação:

Créditos: Sérgio Moraes/ Reuters

Os pinheirenses, Caio Pumputis e Leonardo Santos fizeram dobradinha no pódio, levaram, respectivamente, prata e bronze nos 200m medley. Caio, que disputou o Pan com uma lesão na virilha que tinha afetado seu desempenho nos 200m peito, anotou 2min00s12 assim, conquistando a prata e Leonardo, que havia sido medalhista de prata nos 400m medley, fez 2min00s29, levando o bronze para casa.

“Fiquei dois segundos acima do meu melhor. Se repetisse meu tempo ou chegasse perto, o ouro viria. Claro, a gente fica um pouco chateado. Mas, com as condições, com dor na virilha, nadei até mais rápido do que no Campeonato Mundial” – disse Caio.

As provas de natação foram encerradas com um duelo entre Brasil e EUA, nos 4x100m medley masculino. A equipe brasileira contou com os pinheirenses Guilherme Guido, João Gomes e Marcelo Chierighini conquistando a medalha de prata, registrando 3min30s98.

“Esse revezamento vem de fininho, melhorando, e fizemos um tempo de bastante respeito. E tenho certeza que esse revezamento tem muito potencial para melhorar. Todos aqui estão de parabéns e estou feliz de contribuir para o Brasil no quadro de medalha” – disse Chierighini.

O revezamento 4x100m medley feminino, foi a penúltima prova da noite de sábado, a prova contou com as atletas do Pinheiros: Jhennifer Conceição, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira. As meninas conquistaram a medalha de bronze, cravando o tempo de 4min04s96.

“É muito gratificante fechar a competição com uma medalha. As meninas estão contentes. É meu segundo Pan e não poderia sair mais feliz” – afirmou Jhennifer.

 

Pólo Aquático Masculino:

O Brasil conquistou a medalha de bronze no polo aquático masculino após derrotar a Argentina, por 9 a 6, na noite de sábado (10). O Brasil não via dificuldades para comandar a partida e ficou à frente do placar durante todo o jogo. Tivemos dois pinheirenses que marcaram gols na ocasião: Guilherme de Almeida, responsável pelo quarto gol e no final, dois gols do atleta Pedro Vergara. Outros jogadores que estão integrando a seleção brasileira são: Antonio Neto, Gustavo Guimrães e Rafael Real. A equipe feminina também já havia conquistado o bronze.