A culinária na terra do Pan

Lima é o ponto de encontro de todo o Peru, um caldeirão gastronômico enriquecido pelo fluxo histórico de migrantes e produtos de outras regiões do interior e do exterior, com forte influência dos mouros da Península Ibérica e dos escravos africanos. Lima é uma “quitanda” de produtos frescos, muitos deles inexistentes em outros países. Esta variedade é o segredo do sucesso da considerada “Capital Gastronômica da América”.

Os choclos (milho) para acompanhar os anticuchos (espetos de carne marinada)

A capital peruana possui um requintado cardápio de pratos típicos: os limões do norte usados ​​no ceviche de peixes do Pacífico, os choclos (milho) de Cusco para acompanhar os anticuchos (espetos de carne marinada), o pallar de Ica (espécie de feijão branco) e inúmeras batatas nativas, das mais variadas cores e texturas. Pimentas únicas, grãos como quinoa e kiwicha, fazem sucesso em todo o mundo. Café e cacau, frutas amazônicas exóticas e especiarias aromáticas dos Andes, além do destilado pisco, incrementam os sabores de Lima.

Em Lima existem aproximadamente 220 mil restaurantes, com propostas nutridas pelos sabores peruanos. A Organização dos Estados Americanos (OEA) reconheceu a gastronomia peruana como “Patrimônio Cultural das Américas” em 2011. O peruano explora a fertilidade dos campos com a abundância de frutos do mar. Sua culinária é a combinação requintada de ingredientes exóticos, quase sempre condimentados, elaborados por um grupo de chefs que estão entre os mais talentosos do mundo.