Opinião: técnicos falam sobre as expectativas com a seleção de handebol masculina

O handebol começa a ser disputado nesta quarta-feira (24), dois dias antes da cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de Lima. O torneio dará ao campeão de cada categoria, vaga para os Jogos Olímpicos de 2020, evitando assim, o torneio pré-olímpico, caminho muito mais árduo para se chegar a Tóquio.

O Brasil vem de cinco títulos seguidos no feminino, com uma sequência iniciada nos Jogos de Winnipeg (CAN) em 1999. O time comandado desde 2017 pelo espanhol Jorge Dueñas é uma das maiores barbadas do Pan e joga com a meta de carimbar o passaporte para a próxima Olimpíada.

“Estou tentando fazer uma reformulação na equipe brasileira, mesclando atletas experientes e mais jovens com foco nos Jogos Olímpicos. O Brasil é favorito no Pan, sim, mas vamos pensar jogo a jogo. Cuba é o primeiro adversário (24/7) e será muito difícil porque evoluiu desde o ano passado e ainda existe a ansiedade pela estreia”, comenta Dueñas.

O Brasil está no Grupo A, com Porto Rico, Canadá e Cuba. Na outra chave jogam Estados Unidos, Argentina, Peru e República Dominicana. “Vencer o Pan será fundamental porque nos dará mais tranquilidade para trabalhar e fazer o planejamento adequado para Tóquio”, afirma Dueñas, que só levou para Lima brasileiras que atuam na Europa.

Pedra no caminho do masculino – O pensamento do técnico espanhol é compartilhado pelo treinador pinheirense Sérgio Hortelan, que já comandou a seleção masculina. “O time feminino vai atropelar, ainda mais valendo vaga para Tóquio. Será um Pan desequilibrado em favor do Brasil no feminino. Mesmo que jogue mal, vai ganhar todos os jogos no mínimo por cinco gols. Só perde por um milagre”.

Hortelan alerta, porém, para o obstáculo que a seleção masculina terá de superar em Lima. “Se jogar mal pode perder para a Argentina. Será um torneio com praticamente dois times. Com 51% de chances para o Brasil e 49% para a Argentina porque o Brasil foi melhor no Mundial. A Argentina tem um grande jogador, o armador esquerdo Diego Simonetti, campeão e MVP da Champions League de 2018 pelo Montpellier, da França”.

No Mundial deste ano, na Alemanha, a seleção masculina obteve sua melhor colocação na história, com o nono lugar. No Pan, o Brasil está no Grupo B, ao lado de Porto Rico, Peru e México. Na outra chave jogam Cuba, Estados Unidos, Argentina e Chile. O torneio será disputado de 31 de julho a 5 de agosto.